Terça-feira, 24 de Março de 2009

Olhar

 

As manhãs chegavam

com chuva, sem mar.

Extensas paredes vazias onde a tua sombra nunca pousou

reflectiam, sem pena,

os dias lentíssimos

aqui, no silêncio onde moro.

Arrasto comigo o canto quase límpido

do oceano, que morria, extasiado

como um louco,

nas pedras quentes do fim da tarde.

Abandono-me na memória do teu olhar,

no contorno quase ténue do teu sorriso

e na crueldade das memórias sem retorno,

sinto uma liberdade

que reaviva um gesto inacabado

que se solta,  num grito de abandono.

Atravesso o dia, repleta de mim,

e as fissuras do tempo

desbotam cada noite a lembrança do teu rosto.

A lua já não vem,

adormeço já sem lágrimas

e num murmúrio

soa lá ao longe a canção.

 

Adrienne Pierce - Laundry and Dishes 

Foto: Johannes

 

publicado por Sara Rocha às 18:56
link do post | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.posts recentes

. TIC-TAC

. SAUDADE

. Pêndulo

. IPSE DIXIT

. PÉRFIDA

. Ana

. SIBILA

. HERESIA

. ESTRIDÊNCIAS

. ZÉNITE

.arquivos

. Julho 2013

. Maio 2012

. Abril 2012

. Janeiro 2012

. Novembro 2011

. Junho 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Setembro 2010

. Julho 2010

. Maio 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

.tags

. todas as tags

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds