Quarta-feira, 3 de Dezembro de 2008

À tarde

 

À tarde, fragmentos de vidas passavam

sem ti, comigo e com as saudades

que eu queria já não ter...

Nenhum vento te trazia.

Nenhuma tarde te esquecia.

Apenas breves momentos, abandonados

há muito por nós, e perseguidos ainda por mim,

a sós, em livros de outros que diziam tanto de ti.

Prosternada permanecia

em memórias de silêncios nossos, que em crepúsculos

alucinantes,

varriam os medos e traziam a paz,

em tardes plenas contigo

onde o efémero do tempo,

metamorfoseava lento

uma realidade presente

num futuro sem ti ausente. 

 

 

 

Maria Bethânia - Negue

 

Obs. :Quem desejar comentar este post, poderá faze-lo por email.

publicado por Sara Rocha às 10:17
link do post | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.posts recentes

. TIC-TAC

. SAUDADE

. Pêndulo

. IPSE DIXIT

. PÉRFIDA

. Ana

. SIBILA

. HERESIA

. ESTRIDÊNCIAS

. ZÉNITE

.arquivos

. Julho 2013

. Maio 2012

. Abril 2012

. Janeiro 2012

. Novembro 2011

. Junho 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Setembro 2010

. Julho 2010

. Maio 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

.tags

. todas as tags

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds