Sexta-feira, 11 de Novembro de 2011

PÉRFIDA

 

 

As paredes do quarto mudaram de cor.

A tinta escarlate, em lascas disformes

transforma-se em pó.

A cortina atada ainda lá está, biombo do tempo

preso com nó.

A guitarra encostada na cadeira, a manta

desgrenhada pelo chão,

as pautas riscadas, 

o livro aberto caído no tapete.

O relógio tombado,

na sua altivez forçada

de ponteiros lentos, em

vão persiste, no perpétuo

movimento de um compasso.

E no leito,

ainda as marcas do desejo...

despojos de momentos tão sonhados...

repousa a lúcida vontade de esquecer.

 

 

 Video: Youtube - David Gilmour "Je crois entendre encore"

 Foto: Galeria Olhares - Graça Loureiro

publicado por Sara Rocha às 11:11
link do post | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.posts recentes

. TIC-TAC

. SAUDADE

. Pêndulo

. IPSE DIXIT

. PÉRFIDA

. Ana

. SIBILA

. HERESIA

. ESTRIDÊNCIAS

. ZÉNITE

.arquivos

. Julho 2013

. Maio 2012

. Abril 2012

. Janeiro 2012

. Novembro 2011

. Junho 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Setembro 2010

. Julho 2010

. Maio 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

.tags

. todas as tags

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds